Crédito pessoal ordenado mínimo
Credito Pessoal Créditos

Crédito pessoal com o ordenado mínimo (Aprovação Imediata)

103 Partilhas

O salário mínimo nacional foi aprovado, pelo Governo, em novembro de 2019, com o valor de 635€ para os trabalhadores por conta de outrem do sector privado, com o valor de 635,07€ se for funcionário público e 666,75€ se viver em alguma ilha do Arquipélago dos Açores ou 650,88€.  

Esta foi a última atualização em termos de valores auferidas por quem ganha o salário mínimo.

Em Portugal, é possível pedir Crédito pessoal com ordenado mínimo aos bancos ou instituições financeiras.

No caso de querer contratar um crédito pessoal e precisar de um empréstimo bancário para prosseguir com essa vontade, pode optar por visitar o seu banco habitual para obter informações e depois comparar com outros bancos os valores e as condições.

Se não tem paciência, tempo ou disponibilidade para deslocar-se e auscultar informações junto das entidades bancárias, pode utilizar a Internet e consultar sites que estão disponíveis para ajudá-lo a inteirar-se relativamente a este tema e melhor desenvencilhar-se no processo de, por exemplo, adquirir um veículo ou pagar um tratamento de saúde.

Assim, através da comparação entre bancos e financeiras nacionais pode evitar a deslocação física aos locais, agilizando todo o processo. 

Crédito pessoal e finalidades possíveis

Se quiser comprar um carro ou mota, fazer obras em casa ou empregar novo mobiliário e / ou eletrodomésticos, financiar os estudos,  investir em energias renováveis, férias de sonho ou até pagar cirurgias e emergências médicas que possam surgir, pode contratar um crédito pessoal e encontrar a vertente que mais se adapta àquilo que pretende.

O que podemos, então, dizer que é um crédito pessoal?

Um crédito pessoal não é mais do que um empréstimo que lhe possibilita pedir uma quantia específica, em dinheiro, para depois pagá-la de volta em prestações fixas periódicas, durante um prazo previamente estabelecido.

Os montantes para pedido de crédito pessoal podem atingir um limite máximo de 75 mil euros tratando-se de uma entidade bancária ou de 50 mil euros no caso de lidar com instituições financeiras de crédito.

Para o período de reembolso também existe limitação de prazo e normalmente o crédito pode ser pago de volta em 7 anos, 84 meses.

O crédito pessoal não impõe a existência de fiadores, como acontece quando é feito um crédito à habitação e abre a possibilidade de fazer o reembolso em prestações fixas mensais, salvaguardando o prazo escolhido até à liquidação do mesmo.

Para pedir um crédito pessoal deve ter, no mínimo, 18 anos de idade e residir em Portugal.

Note, porém, que algumas entidades bancárias podem solicitar recibos de vencimento ou comprovativos de morada.

De salientar que, antes de conceder o crédito, as instituições bancárias e financeiras analisam o histórico do cliente junto do Banco de Portugal, através do Mapa de Responsabilidades do Banco de Portugal.

Ganha o salário mínimo nacional e quer solicitar um crédito pessoal?

O Doutor Poupanças é sítio na Internet que o pode ajudar a fazer as suas simulações sobre valores a crédito.

Através deste site, pode fazer as simulações online, informar-se e mesmo aderir a uma solução apresentada.

As vantagens de usar este acesso prende-se com a resposta personalizada, a ausência de custos e compromisso na simulação e a garantia que se informa o melhor possível antes de dar um passo que vai mexer com a sua vida financeira a curto ou médio.

Ao fazer a simulação para contratação de um crédito pessoal deve ter em conta a TAEG (Taxa Anual Efetiva Global) e compará-la com a dos outros bancos e o MTIC (Montante Total Imputado ao Consumidor) que é o valor do seu crédito acrescido de taxas.

A TAN (Taxa Anual Nominal), comissões, impostos e seguros associados aos créditos pessoais (Seguro de Vida e Seguro de Proteção ao Crédito) também devem ser valores a ter em conta na sua análise.

Se aufere o salário mínimo nacional (entre os 635 euros e os 666,75 euros) deve ter em conta um dado importante para precaver-se contra o endividamento que tem sujeitado muitas famílias portuguesas a situações penosas.

Quando contrata um crédito pessoal, lembre-se que deve analisar qual o seu orçamento mensal e pesar o que significaria ficar com mais uma agravante nesse orçamento.

Irá conseguir fazer face a mais essa despesa, sem que esta tenha um custo determinante no orçamento da sua família?

Vale a pena conhecer a Taxa de Esforço que corresponde a um cálculo simples através do qual se chega ao valor da percentagem do orçamento familiar viável para proceder ao pagamento das prestações de crédito.

Para fazer o cálculo desta taxa aplique a fórmula: (Encargos Financeiros / Rendimento Mensal) x 100.

Se ganha, então, o salário mínimo nacional, deve ter em atenção este cálculo no sentido de se precaver e assegurar que esta taxa não é superior a 30% do rendimento do agregado familiar.

Assim, se ganhar 635 euros de salário e tiver 400 euros de encargos financeiros deve assegurar que a sua taxa de esforço (0,63%) não é superior a 30% do seu rendimento, ou seja, a 30% dos 635 euros.

Se o empréstimo tiver uma taxa de juro variável, como a EURIBOR, deve também equacioná-la quando solicita o seu crédito pessoal.

A título de exemplo prático, submeti uma consulta com os dados apresentados acima para simulação de um crédito pessoal com intuito de adquirir um veículo.

Pelo pedido de 2000 euros, a serem pagos até 24 meses, recebi 10 resultados (6 de entidades bancárias e as restantes de instituições financeiras).

As entidades bancárias reservam os serviços apenas a clientes e não incluem os seguros no valor final; as instituições financeiras podem incluir seguros obrigatórios.

Em termos comparativos, o valor a pagar mensalmente estaria entre os 87 e 95, pelo prazo estipulado, TAEG varia entre os 9,50 e 21,00%, a TAN entre os 4,500 e os 11,500% e valores de MTIC entre os 2200 e os 2392 euros.

Vale, pois a pena, fazer essa análise comparativa antes de embarcar num Crédito pessoal com ordenado mínimo.

103 Partilhas