credito pessoal com problemas bancarios
Credito Pessoal Créditos

Crédito Urgente com Problemas Bancários

14 Partilhas

Tem problemas bancários e precisa de pedir um crédito, mesmo assim?

Este artigo foi feito a pensar em si!

Se tem problemas por resolver, nomeadamente dividas e precisa, urgentemente, de pedir um crédito, saiba que não é impossível fazê-lo.

Não se esqueça, porém, que deve ser cauteloso e informar-se bem antes de tomar essa decisão, antes de simular o seu crédito ou, mesmo, antes de contactar um banco ou uma agência financeira para efetuar o pedido de crédito que tanto necessita.

Antes de arriscar uma simulação e um pedido de crédito, quando já tem o seu nome na “lista negra” dos bancos, deve atentar para alguns constrangimentos que podem estar associados, de forma mais ou menos direta.

Neste artigo sentir-se-á, então, elucidado acerca das melhores estratégias para pedir um crédito, vivendo uma situação financeira complicada.

Antes de mais, convém questionar se tem alguma situação pendente com o banco e se há formas de conseguir identificar essa mesma situação.

Após este primeiro passo e ao descobrir que o seu nome está “manchado” na banca, pode muito bem dar uso aos conselhos que temos para si.

Deste modo, pode até conseguir pedir o tal crédito que necessita ao Banco de Portugal ou às instituições de crédito privadas que também disponibilizam o financiamento que precisa, sem grandes complicações e impedimentos.

Poderá já ter questionado o seguinte:

Como chega aos bancos a informação que determinado cliente tem o seu nome na “lista negra?” 

Vejamos: Quando os bancos ou as instituições financeiras avaliam o pedido de um crédito, têm de verificar e analisar a situação de risco do cliente.

Como é que estas entidades fazem essa análise de risco do cliente que solicita um crédito?

Muito simples: fazem uma verificação do comportamento financeiro do consumidor.

Se fez um crédito, anteriormente e aconteceu alguma vez atrasar-se no pagamento das mensalidades acordadas, a instituição credora, imediatamente, identifica a situação e transmite a ocorrência ao Banco de Portugal.

O banco de Portugal, por sua vez, disponibiliza a informação que lhe chega na Central de Responsabilidades de Crédito (CRC).

O cliente passa, então, a fazer parte da lista negra do Banco de Portugal, na condição de incumpridor.

Essa informação que está comportada no CRC, é acessível a qualquer uma das partes intervenientes e com uma participação ativa no processo de avaliação e análise do crédito, pois diz respeito às responsabilidades de cada devedor em relação ao conjunto de todas as entidades credoras.

Porém, existe sigilo no que concerne a dois elementos: primeiro, acerca da do local onde foi concedido o crédito e, também, no que diz respeito à entidade que o concedeu.

Também os clientes que pretendem ser fiadores de alguém, no pedido de um crédito, são identificados na CRC, no caso de terem um incumprimento a decorrer.

Todos os meses, existe uma nova listagem disponibilizada na CRC, reunida pelo Banco de Portugal, fruto das comunicações dos bancos e agências financeiras de crédito.

A listagem das entidades que fazem essa participação ao Banco de Portugal pode ser consultada por qualquer cidadão comum, através de uma pesquisa na Internet.

Quando o cliente solicita um crédito a um banco ou entidade financeira de crédito, é feita uma análise de risco, cujo processo evidencia consulta a CRC e verificar se o cliente ou o seu fiador – no caso de ter um – têm o seu nome “manchado”.

A questão que se impõe permanece: 

É, então, possível ou não pedir um crédito com problemas bancários? 

Sim, existe, de facto, essa possibilidade e podemos ajudá-lo a encontrar alguns “caminhos” para fazê-lo.

Claro que a partir do momento que incorre num atraso de pagamento e que é marcado como incumpridor, a possibilidade de ver um crédito aprovado, tende a desvanecer-se.

Mesmo assim, saiba que apesar de mais difícil, não é, de todo, impossível conseguir aprovação de um crédito urgente, na sua situação.

Se tem conhecimento que o seu nome figura na Central de Responsabilidade de Crédito, como incumpridor, pode tentar pedir o seu crédito e existem várias estratégias alternativas que o podem ajudar nesta missão.

A seguir, vamos falar de três opções a serem consideradas e que podem possibilitar o seu crédito, mesmo em circunstâncias problemáticas com o seu credor.

Pode tentar efetuar crédito urgente das seguintes formas:

1. Pedir um crédito pessoal imediato

É possível pedir este tipo de crédito a agências financeiras deste que tenha uma garantia, por exemplo, a hipotecária.

As agências de crédito pedem esta garantia de modo a assegurar que o empréstimo concedido é, efetivamente, pago até ao final.

Pode, através da Internet, fazer uma simulação para comparar entidades financeiras e verificar qual a mais favorável ao seu caso em concreto, na possível cedência de um crédito pessoal imediato.

2. Solicitar um empréstimo entre particulares

Se o empréstimo se der entre particulares – um amigo, familiar ou mesmo um profissional, a título particular, que usa o crédito como atividade comercial própria.

Este tipo de empréstimo ocorro quando a probabilidade de recorrer a um banco ou instituição financeira e ver aprovado o crédito que necessita, constituindo uma alternativa aos créditos mais “tradicionais”.

3. Optar por fazer um pedido de crédito consolidado

Este formato de crédito apresenta-se como sendo a melhor opção para quem quer pedir um crédito e tem dívidas que complica todo o processo.

Se tem créditos feitos, em vários bancos ou instituições financeiras e encontra-se com dificuldades em manter o pagamento mensal de cada um desses créditos, tendendo a cair na malha dos incumprimentos e do sobre-endividamento.

Se reunir todas as prestações que paga numa só, optando por esta modalidade de crédito consolidado, tem a possibilidade de reduzir o pagamento mensal total.

Imagine, então, que tem, neste momento um crédito de habitação, um crédito automóvel e um crédito de cartão e que quer poupar na quantia da sua mensalidade.

A opção é fazer um crédito consolidado, reunir todo esses créditos em um só contrato, e começar a poupar imediatamente na mensalidade que regulariza, todos os meses.

Não obstante, note que esta forma de reduzir o pagamento apenas é viável para si, no caso de ainda não ter o seu nome na “lista negra” do Banco de Portugal, não ser desempregado ou não ter uma penhora.  

Pode, também neste caso, fazer uma simulação online para fazer uma comparação e informar-se das condições dos diversos bancos e entidades financeiras que concedem este tipo de crédito e verificar qual se ajusta mais ao seu principal objetivo: poupar o máximo possível, todos os meses e, desta forma, evitar o endividamento e a identificação na CRC, por parte do Banco de Portugal.

Quais são as vantagens de fazer um crédito consolidado?

– Evitar o sobre-endividamento, como foi mencionado acima e ver mais facilitada a sua situação financeira;

– Evitar incorrer no incumprimento, como consumidor que o pode levar a ter o nome “manchado” perante o Banco de Portugal e criar problemas graves na relação entre os meandros da banca;

– Aumentar a poupança da sua família, avaliando melhor o seu orçamento e tendo uma visão mais ampla das opção e movimentos que pode desenvolver.

Isto vai beneficiar a gestão do seu orçamento familiar, reequilibrando a forma como tem lidado com o pagamento das suas dívidas e dando-lhe uma maior flexibilidade financeira.

– Reduzir as suas prestações mensais, de forma evidenciada, em até 60%.

Para além disso, tem possibilidade de regularizar os pagamentos deste crédito num período de médio a longo prazo, escolhendo taxas associadas mais reduzidas.

Se esta opção de pedido de crédito consolidado, faz mais sentido para si, note que pode escolher entre duas modalidades, de acordo com o seu perfil de cliente:

1. Pode fazer um crédito consolidado com hipoteca, no caso de juntar o seu crédito habitação, no conjunto de empréstimos que vai reunir para o pedido de crédito consolidado ou no caso de dar a sua casa como garantia;

2. Pode fazer um crédito consolidado sem hipoteca, no caso de não dispor de um imóvel para dar como garantia.

Nesta segunda modalidade as condições apresentadas são menos favoráveis, pois o facto de não ter possibilidade de dar garantia hipotecária, aumenta o nível de risco do cliente na avaliação que é feita para ser aprovado o crédito: os prazos para pagamento do empréstimo são mais curtos e as taxas aplicadas, normalmente, mais elevadas.

Outra questão fundamental se escolher o crédito consolidado como alternativa à dificuldade em pagar as suas dívidas: onde pode dirigir-se para conseguir solicitar o crédito consolidado?

Existem variados bancos que concedem crédito consolidado e agências financeiras de crédito que também têm aprovação do Banco de Portugal para oferecerem esta possibilidade aos seus clientes.

Podemos, aqui, dar alguns exemplos de instituições bancárias às quais pode recorrer para pedir o seu crédito consolidado: do lado dos bancos, a Caixa Geral de Depósitos, o Bankinter, o Millenium BCP ou o Santander; no lado das entidades de crédito temos a Cetelem ou a Cofidis.

Para fazer a sua simulação e conseguir ver qual a entidade financeira que mais corresponde ao seu perfil de consumidor, podendo avaliar as melhores escolhas para si, em termos de taxas aplicadas e prazos estabelecidos para o pagamento das prestações.

Pode ter acesso a estes simuladores em alguns sítios de bancos e instituições financeiras que as disponibilizam para si, como é o caso do simulador do Santander ou da Cetelem. 

Esta terceira opção constitui uma alternativa muito interessante para os clientes na obtenção de um crédito urgente, tendo em conta os seus possíveis problemas bancários que possam estar a enfrentar.

Além de ajudar a evitar que as dividas continuem a acumular-se, evita que piore a sua situação perante o sistema bancário.

Em que riscos incorro se solicitar um crédito quando tenho problemas bancários?

Recorrer a um crédito, sem grandes dificuldades e sem requisitar grande formalidade, pode constituir um risco para quem o solicita.

Este risco é assumido quando falamos nos empréstimos concedidos entre particulares, sejam eles amigos, familiares ou pessoas que fazem dessa concessão de crédito a sua atividade profissional.

Como este tipo de crédito estão fora da alçada do sistema bancário, não existe nenhum tipo de regulação financeira superior que possa evitar situações complicadas.

Não podemos esquecer que há muitos credores particulares que pretendem tirar partido da fragilidade das pessoas que precisam de créditos urgentes e embarcam neste tipo de empréstimo informal.

Ao não ser supervisionado pelo Banco de Portugal, este tipo de crédito, existe o risco iminente de depois também não haver possibilidade em ajudar o devedor a livrar-se de situações de risco como, por exemplo:

– Empréstimo com juros elevadíssimos;

– Empréstimos baseados em cheques pré-datados em limites que serão pagos pelo banco quando não existe saldo disponível: o resultado é a acumulação de dívidas ainda maiores;

– Empréstimos com garantias de veículos ou imóveis que são avaliados em preços muito abaixo dos praticados no mercado.

Esta situação de pedido de empréstimo entre particulares pode, então, não compensar quando é assumido um risco demasiado elevado.

Lembre-se que, nestes casos, a regulação é nula ou quase e isso pode implicar aproveitamento alheio da sua situação financeira menos favorável.

A oferta de empréstimos, entre entidades particulares, não pode acontecer sem a autorização do Banco de Portugal.

Mesmo assim, pode haver o claro risco dessas entidades financeiras estarem a incorrer em algum crime como é o caso da usura, burla, fraude fiscal, ameaça ou extorsão.

Deve estar, por isso, sempre alerta!

Assim, dadas as três opções que tem para contornar uma possível situação de incumprimento perante o Banco de Portugal, realmente, a escolha por um Crédito Consolidado não deixa de ser a que revela um maior sentido de eficácia e que evita um sobre-endividamento passível de colocar em risco o seu bom nome nos meandros da banca e, acima de tudo, o orçamento do seu agregado familiar.

Mesmo assim, informar-se devidamente, recorrendo a toda a informação que já consegue consultar online é orientar-se com segurança.

Use e abuse dos simuladores disponibilidades pelas entidades bancárias, pense nos prós e contras de cada possibilidade que tem e tenha em conta as necessidades suas necessidades reais e as necessidades do seu agregado familiar. 

14 Partilhas