Teletrabalho vantagens e desvantagens
Carreiras Os teus direitos

Teletrabalho vantagens e desvantagens

0 Partilhas

Teletrabalho: Vantagens e desvantagens!

Com o surto de Covid-19 ocorreu uma evolução do mercado de trabalho, nomeadamente uma maior adesão ao regime de teletrabalho.

Esta modalidade de trabalho trouxe um novo paradigma, tanto para as entidades empregadoras como para os trabalhadores.

Adapta-te à nova realidade e fica a saber algumas vantagens e desvantagens do teletrabalho.

O que é o teletrabalho?

De acordo com o Código do Trabalho, o teletrabalho define-se como a “uma prestação laboral que é realizada com subordinação jurídica, praticada habitualmente fora do espaço da empresa e com recurso a ferramentas com suporte tecnológico e informativo”( artigo 166.º).

Desta forma, o trabalho remoto pressupõe que os colaboradores de uma entidade empregadora executem as suas funções a partir de sua casa, usando meios digitais.

Vantagens do teletrabalho

O teletrabalho possibilita-nos uma maior flexibilidade e ofereceu-nos mais “poder” e controlo sobre o tempo dispensado ao longo dos nossos dias.

Abaixo, enumerámos algumas vantagens:

  • Planeamento e otimização do fluxo de trabalho: o trabalho remoto veio ajudar as empresas a efetuarem um melhor planeamento e gestão do fluxo de trabalho.
    Permitiu reduzir as burocracias e tornar os processos de decisão mais rápidos, com vista ao aumento da produtividade e, consequentemente, dos lucros.
  • Produtividade dos trabalhadores: em Portugal, após começarmos a trabalhar a partir de casa, cerca de 44% dos profissionais chegaram à conclusão que a sua produtividade aumentou, avança um estudo de Robert Walters sobre o impacto da pandemia nas nossas vidas profissionais.
    Esta investigação foi realizada a cerca de 5500 pessoas.
  • Aproveitamento do tempo útil e melhoria na qualidade de vida: com a possibilidade de executarmos as nossas atividades laborais a partir de teletrabalho, nós conseguimos aproveitar o tempo “livre” da melhor forma.
    Por exemplo, aquele tempo que perdíamos em deslocações para as instalações da empresa, agora é aproveitado para aumentar a nossa produtividade e, inclusivamente, para desfrutarmos mais tempo com a nossa família.
    Mas, para isso, é necessário estabelecermos um equilíbrio entre a vida pessoal e a vida profissional. 
  • Redução dos índices de stress: o trabalho à distância permitiu-nos controlar mais eficientemente o tempo e, inclusivamente, o nosso ambiente de trabalho.
    Nós é que passámos a decidir a temperatura do espaço, a iluminação, o conforto (exemplo mesa e cadeira de trabalho) e até o tipo de ambiente.
    Afinal, agora, já podemos almoçar com a família e/ou amigos ou mesmo passar mais tempo com os nossos filhos.
    O teletrabalho ajudou-nos a aumentar a nossa felicidade e a diminuir os níveis de stress, uma vez que trabalhamos nas condições idealizadas por nós.
  • Agilidade no processo de recrutamento: as empresas conseguiram diminuir os custos associados ao processo de recrutamento, possibilitando um aumento das ofertas de emprego.
    Agora, muitas entidades empregadoras estão a apostar na contratação de colaboradores para trabalharem remotamente, possibilitando a redução de custos adicionais (exemplo eletricidade, água, internet, etc).
  • Redução de custos: quem se encontra em regime de teletrabalho teve a possibilidade de poupar algum dinheiro com infantários ou creches (se tiverem um filho com menos de 6 anos), desgaste com o automóvel ou mota, estacionamento, transportes públicos e muito mais.
  • Pouca distração: nas instalações de uma empresa estamos rodeados de pessoas que possibilitam inúmeras interrupções e distrações.
    Em casa, se definirmos corretamente o nosso local de trabalho, conseguimos obter maiores níveis de concentração e, consequentemente, aumentamos a nossa produtividade.
    Isso permite-nos progredir mais facilmente na nossa carreira profissional!

Desvantagens do teletrabalho

Quando estamos em teletrabalho existem algumas desvantagens que devemos estar conscientes para não prejudicarmos a nossa qualidade de vida nem perder o “gosto” pelas nossas funções profissionais.

Abaixo, referimos algumas:

  • Confidencialidade da informação: em regime de teletrabalho, a comunicação entre colaboradores ou com a própria empresa é feita através de meios digitais, tais como Zoom, Microsoft Teams, Skype, emails, entre outros.
    Isto significa um aumento significativo do risco associado à segurança da informação e, até diríamos, fuga de informação confidencial.
  • Resistência à mudança: nem todas as pessoas estão preparadas para trabalhar remotamente, nem sempre é fácil mudar as suas mentalidades.
    Por norma, isso está associado à falta de confiança em si mesmo, dificuldades em utilizar as tecnologias de informação e comunicação (TIC) e em realizar uma gestão eficiente do seu fluxo de trabalho.
    Logo, o teletrabalho, em alguns casos, dificulta a execução (com sucesso) das nossas atividades laborais.
  • Falta de equilíbrio entre a vida pessoal e a vida profissional: Caso não estabeleça um local fixo (sem qualquer tipo de distrações) de trabalho na sua habitação e as fronteiras entre o lazer e o tempo laboral não fiquem bem delineadas, torna-se complicado equilibrar a vida pessoal e a vida profissional.
    Há sempre a tentação de fazermos uma pausa do nosso trabalho e tratar de algum aspeto doméstico.
    É necessária força mental!
  • Enfraquecimento dos laços e a diminuição da ajuda entre a equipa:  torna-se mais complicado o desenvolvimento de uma cultura profissional coesa e forte, quando os membros de uma equipa estão dispersos por várias localizações geográficas.
    A falta de contato presencial entre colegas dificulta a criação de uma “amizade” e diminui o espírito de ajuda entre equipa.
  • “Desligar-se” dos colegas e entidade empregadora: com o teletrabalho há um afastamento físico entre colegas de trabalho, entidade empregadora e clientes, mas não significa que tenhamos que nos “desligar” uns dos outros.
    Aliás, pelo contrário, devemos marcar presença nas reuniões online, ir telefonando aos colegas, enviar emails e esforçarmo-nos diariamente para estarmos sempre ativos perante a nossa rede de contato de trabalho.
  • Trabalhar demasiadas horas: podemos sentirmo-nos tentado a trabalhar mais horas seguidas, uma vez que não temos restrições de horário nem ninguém a “vigiar-nos”.
    Isso significa que podemos provocar um desequilíbrio entre a vida pessoal e a vida profissional, bem como sacrificar a alimentação, a qualidade de sono e até o nosso bem-estar físico e mental.
    Para alcançarmos os nossos objetivos laborais não significa que tenhamos de prolongar o nosso período laboral.
    Além disso, devemos evitar o isolamento e tornar este método de trabalho uma rotina.
    Temos de estar conscientes e dizer para nós mesmos “amanhã é outro dia”!
0 Partilhas